Um dia na Casa de Recuperação

Um dia na Casa de Recuperação

Compartilhar

          No galinheiro o cantar de um galo anuncia um novo dia. Lembramos o caso do galinho que cantava  pensando  que o sol  raiava motivado pelo seu canto.Desde cedo o Senhor Deus misericordioso, pela natureza criada , faz despertar nos corações a mensagem revelada por Seu Filho de que somos filhos de um mesmo Pai, que faz nascer o sol para os justos e os injustos.E assim,confiantes e esperançosos, mais uma vez, nos lançamos em seus braços  para uma nova jornada de amar nossos irmãos cujas vidas foram mutiladas pelo vicio…

          São cinco horas e um dos internos acende o  fogão de lenha para preparar o café.Os Paes  foram doados pelo Luiz, que há dez anos  ininterruptos generosamente nos  ajuda, é um dos filhos de Deus que aprendeu a partilhar. Quando não tem pão fazemos bolinhos de ovos ou de chuva.Quando tem fermento assamos pão no forno que o Gonçalo meu cunhado, conhecido por china, construiu.Depois de inúmeras internações, de muito sofrimento , encontrou a libertação das drogas pelo poder de Deus.Hoje ele auxilia a todos comprando medicamentos, acompanhando  ao medico, fazendo o que  pode. Qualquer dia desses vou contar como foi sua conversão inesperada.

          Nos dormitórios   um dos internos  bate o sino. São seis horas, hora do despertar.Com o repicar do sino  lembramos nosso encontro de Emaús em  que diziam que todas as vezes que o sino batesse era a voz de Deus chamando para   nos falar de amor,nos revelar as escrituras e para ficar conosco, na estrada ate a Jerusalém  celeste . Todos se levantam e se preparam para mais um dia, esperando, confiando, perdoando, e, deste modo, receberem as graças atuais…

          Seis e meia todos estão na capela para as orações e o terço.Como e´ gratificante ver homens rudes, machucados pela vida, desprezados pela sociedade e pelas famílias.   fracassados na profissão, processados na justiça, se ajoelharem diante da grande imagem de Jesus crucificado. Esta imagem, a nosso pedido, foi pintada na madeira e depois recortada, pelo Sandro, ex interno recuperado e que hoje coordena a reunião de narcóticos anônimos em Barroso, sua cidade natal. Ao final das orações, proclama-se o evangelho da liturgia do dia, luz para a nossa lida diária.

          Após o café, cada interno segue para sua laborterapia; tratar dos porcos como o filho prodigo, cuidar das galinhas, do jardim, da horta, capinar, plantar, varrer, lavar banheiros, buscarem lenha, lavar a louça, fazer o almoço… O Vitor Lúcio, um dos monitores, recuperado na casa, conserta, restaura, constrói, corre o dia todo solucionando o que precisa. Faz tudo de eletricidade, pedreiro, pintor, encanador, cozinha, assa, enfim, é o salva-vidas na fazenda. O Paulo, também monitor, recuperado na casa, está conosco faz sete anos. È o nosso São José carpinteiro, martelando, serrando, refazendo. Sempre tem qu e parar os trabalhos para receber novos internos, atender telefonemas… E assim a casa de recuperação caminha ate as onze horas.

          Paramos para rezar o terço de São Jose e da Providencia e repetimos o quarto, quinto e sexto passo, pois o primeiro, segundo e terceiro foram repetidos na oração da manhã após o canto de agradecimento. A passos largos todos se encaminham ao refeitório. Como comem, meu Deus, são dez quilos de arroz, quatro de feijão, quatro d e macarrão,. sem falar   , a mistura, como dizem , verduras e cem Paes diários. DEUS PROVE, DEUS PROVERA.

          Treze horas retornamos ao trabalho ate as quinze, quando. Novamente  na capela, com Santa Faustina, rezamos o terço da misericórdia. Repetimos o sétimo, oitavo  e nono passo, seguindo o café da tarde e banho. Para muitos, vivendo na adicçao e ate mesmo pelas ruas, a higiene pessoal inexistia. As segundas feiras temos o horário de silencio das dezessete as dezoito horas, ou palestra de formação sobre os doze passos baseada nos ensinamentos bíblicos onde são abordados vários aspectos da adicçao, são momentos preciosos em que vemos claramente Deus agindo.

          Dezoito horas, mais uma vez todos na capela recitam o terço seguido de outras orações, repetimos o décimo, décimo primeiro e décimo segundo passo. Seguimos para o jantar sendo que três dias da semana servimos sopa, para que nossos mantimentos durem mais dias. O bom Deus nunca nos deixou faltar e, quando falta alguma alma generosa vem nos socorrer.

          Chegou a noite. Terça feira temos reunião de partilha do AA e NA, quarta feira grupo de oração  conduzido elo Cristovam, cristão ardoroso e ex-dependente químico que abraçou conosco a missão. Quinta feira tem adoração ao Santíssimo Sacramento.

          Desta forma, trabalhando, orando e vigiando, pelo poder de ‘Deus, vivemos mais 24 horas na sobriedade.

Kerygma Varginha

Clínica de reabilitação para dependentes químicos em Varginha-MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *